Net-Sky e Edil omisso: coquetel dos horrores no Engenão

Posted on 10/03/2012

0


Pouco provável que o quinze de março próximo futuro não seja data de uma tragédia carioca, observado que o oito próximo passado de tal escapara por conta de um capricho divino. Estamos a tratar naturalmente aqui do match Flamengo versus Empresa Electrica del Ecuador pela Libertadores da America realizado ontem no “Engenão” , e assistido por 50.000 pessoas, em que pese os jornais anunciarem um público de quase metade.

O coquetel dos horrores envolveu o revanchismo covarde da Net-Sky contra a Fox-Sports, e a falta de reação da Prefeitura em não ter voz ativa para alterar a hora de uma partida. Examinemos os dois pontos:

1) Net-Sky contra Fox-Sports

Como toda a gente já sabe, o canal Fox-Sports ganhou os direitos de exclusividade da Copa Libertadores em rede fechada. Natural, portanto, que a Net e a Sky, as quais juntas detém quase 90% do mercado de assinantes de TV fechada do Brasil, disponibilizassem ao mercado o canal Fox-Sports. Esse é o princípío comezinho do mundo capitalista. Se o público do meu restaurante é apaixonado por suco de laranja, não há porque eu não deixar de tal oferecer aos mesmos.

Todavia, Net e Sky ficaram injuriadas pois queriam que o Sportv fosse o canal campeão. Como tal não assim não ocorrera, o duopólio se juntou e resolveu não oferecer o vero canal campeão ao público consumidor. Como resultado prático disso, temos que o jogo ontem do CRF apenas foi transmitido para os assinantes da Oi, Claro Tv e outras nanicas, sublinhado sempre que no Rio de Janeiro a penetração da Net e Sky é acima da média, não me arriscando dizer que se aproximam de 95% do mercado.

Enfim, parece-nos claro e óbvio que a hipótese é de cartelização urgindo a atuação imediata do CADE. A prova é patente e salta aos olhos, pois inexiste razão comercial para Net e Sky não disponibilizarem a Fox-Sports.

2) Edil omisso

O jogo de ontem não foi, pois, televisionado senão apenas para alguns gatos pingados. E mais: Há torcedores, como este blogueiro, que se contentaria em ouvir a transmissão radiofônica, mas falou-se que o somente o segundo tempo do jogo seria irradiado. A alternativa que restara a massa rubro-negra fora a de rumar ao Estádio em plena hora do rush. Natural que todas as artérias, viárias e ferroviárias, estivessem afogadas. Resultado foi que os não flamenguistas sofreram ainda mais na volta para casa e grande parte dos rubro-negros ainda nao tinham chegado com o jogo quase no intervalo. Pior: Por volta de 19:10 hs, mais de dez mil torcedores, aproveitando-se do pouco policiamento e da já conhecida pífia segurança do Engenão, invadiram a entrada Leste sendo que em cinco minutos o anel superior lotou. Grande parte dos arquibaldos sequer passara o ingresso na Roleta e muitos outros que chegaram após a invasão foram impedidos de entrar na parte superior.

Caberia ao Edil e sua equipe vetar um jogo com tais peculiaridades no horário em que se dera, sabedores todos da incapacidade de o “Engenão” receber com dignidade jogos da massa rubro-negra. O Prefeito não poderia ignorar o que se passa no mundo dos fatos, por isso que deveria zelar pela segurança pública proibindo que jogos que tais se realizem em tal horário.

Assistindo de há pouco ao Globo Esporte nada se comentou acerca do teatro de horrores, talvez porque em grande parte a Globo tenha responsabilidades indiretas, mas fica o recado aos pais: evitem de todas as maneiras o Engenão semana que vem, pois se afigura mui alto o risco de o Rio sucumbir em mais um desastre.

Esperaremos que o CADE e a Prefeitura tenham postura ativa.Enquanto isso, tratemos de contratar a Oi Tv, Claro Tv e Tva.

Para um cenário de horror, nada mais adequado que um time vergonhoso que teima em errar passes contrariando a tradição rubro-negra do toque de bola singular.

Abaixo da crítica, tudo.

Extraído do sítio Jornal do Brasil – ultima atualização em 10/03/2012

Anúncios