Israel descumpre leis internacionais ao prender parlamentar palestino, diz Cruz Vermelha

Posted on 26/09/2011

0


O CICV (Comitê Internacional da Cruz Vermelha) protestou nesta segunda-feira (26/09) contra a prisão, por autoridades israelenses, de Ahmed Attoun, um membro do Conselho Legislativo Palestino, que estava refugiado na sede da ONG em Jerusalém Oriental.

Em comunicado oficial, a Cruz Vermelha pede que o governo israelense cumpra “suas obrigações segundo o Direito Internacional Humanitário” e libertem Attoun, que é ligado ao Hamas. Ele foi capturado por agentes israelenses disfarçados de trabalhadores palestinos.

A organização humanitária, que costuma se manter neutra em relação aos conflitos nos quais presta auxílio às vítimas, reagiu à detenção da autoridade palestina em sua sede, em Jerusalém.

Segundo a Cruz Vermelha, Attoun, junto com Mohammed Totah, outro membro do Conselho Legislativo Palestino, e o ex-Ministro para Assuntos de Jerusalém Khaled Abu Arafeh, vem organizando uma manifestação pacífica nas instalações desde meados do ano passado, para protestar contra a decisão das autoridades israelenses de deportá-los para a Cisjordânia.

Leia mais:
Conselho de Segurança da ONU inicia debate sobre reconhecimento de Estado palestino
Por falta de garantias, palestinos rejeitam retomar negociações com Israel até 2012
Conselho de Segurança se reúne na segunda para discutir entrada da Palestina na ONU
Na ONU, Abbas diz que é hora da ‘Primavera Palestina’ e condena assentamentos
Palestino é morto durante violentos confrontos na Cisjordânia

A organização apela para o artigo 49 da Convenção de Genebra, que proibiria Israel, “independentemente de seus motivos, de fazer transferências forçadas de palestinos”.

A Cruz Vermelha argumenta que, segundo o direito internacional humanitário, Jerusalém Oriental é um território ocupado e “os palestinos que vivem aí estão protegidos segundo o artigo 4º da Quarta Convenção de Genebra”.

Tanto o Hamas, quanto as lideranças do Fatah, condenaram a operação israelense, classificada como uma parte da estratégia de expulsar os palestinos de Jerusalém Oriental.

O porta-voz da polícia israelense, Mickey Rosenfeld, disse que Atun foi preso por “suspeita de envolvimento em atividades do Hamas em Jerusalém”. Muitos palestinos temem que a expulsão dos parlamentares sirvam de precedente para a retirada dos cerca de 270 mil palestinos que vivem em Jerusalém Oriental, território ocupado por Israel em 1967.

*Com informações da AFP

Extraído o sítio Opera Mundi – ultima atualização em 26/09/2011

Anúncios
Posted in: Liberdade, Palestina