França tem pelo menos 8 milhões de pessoas na faixa de pobreza, diz estudo

Posted on 30/08/2011

0


Estudo intitulado Rendas Fiscais e Sociais, do Instituto Francês de Estatísticas e Estudos Econômicos (Insee, na sigla em francês), revelou que houve um freio no ritmo de crescimento do nível de vida na França e aumentou a taxa de pobreza no país. Os dados indicam que 8,2 milhões de franceses estão na faixa de pobreza, o equivalente a mais de 13% da população.
De acordo com o estudo, a elevação da taxa de pobreza está diretamente ligada ao crescimento do desemprego no país. Em 2008, o índice era 7,4% e, no ano seguinte, subiu para 9,1%. Na França, são consideradas pobres as pessoas que ganham menos de 954 euros por mês – cerca de R$ 2,2 mil. Pelos dados, houve aumento de 0,5% do número de pobres em relação à pesquisa anterior (de 2009).
Leia mais:
A Europa em marcha-à-ré
Os ”indignados” e a Comuna de Paris
Charge: Papandreou desce pelo ralo da zona do euro
Papandreou obtém voto de confiança para formar novo governo grego
Mais da metade da dívida espanhola está nas mãos de investidores estrangeiros
Desemprego e precariedade no mercado de trabalho desencadeiam onda de protestos em Portugal
A crise econômica mundial provocou um impacto social e no mercado de trabalho na França em 2009, de acordo com a pesquisa do Instituto Francês de Estatísticas e Estudos Econômicos. O estudo se baseou em dados de 2009 e revela o impacto da crise econômica mundial na sociedade francesa.
Para o instituto de pesquisas francês, os efeitos da crise não foram mais graves porque o governo francês adotou medidas pontuais, como a elevação do valor de forma progressiva do salário mínimo pago à camada mais pobre da sociedade. O estudo indica ainda que há mais pobres até entre os que trabalham.
Cerca de 10% das pessoas, com mais de 18 anos, que estão empregadas vivem abaixo da linha da pobreza, um aumento de 0,6% comparado com o ano anterior. A pesquisa mostra ainda que a desigualdade vem crescendo na França como já demonstrado em estudos anteriores. O levantamento mostrou também que a crise poupou relativamente os aposentados que mantiveram a taxa de pobreza em 9,9% e registraram um aumento médio no nível de vida de 1,3% em 2009.
*Com informações da emissora estatal de rádio da França, RFI.

Extraído do sítio Opera Mundi – ultima atualização em 30/08/2011

Anúncios