Empresário francês paga multa de duas menores que usaram véu integral na Bélgica

Posted on 17/08/2011

0


Um empresário francês viajou à Bruxelas para pagar as multas impostas pelo Estado belga a duas menores que portaram o niqab na rua. Em 23 de julho, a Bélgica se tornou o segundo país da EU (União Europeia) depois da França a proibir o uso de véus integrais em locais públicos, incluindo a burca e o niqab (que deixa apenas os olhos descobertos).
Rachid Nekkaz, o empresário em questão, afirma ser pessoalmente contra o uso do niqab. Entretanto, entende que não cabe ao Estado proibir e aplicar multas nesse caso. Por essa razão, ele resolveu pagar as multas de 50 euros para cada uma das adolescentes, uma de 16 e outra de 17 anos.
Leia mais:
Muçulmanas são detidas na França por usar véu islâmico
Ignacio Ramonet: a xenofobia europeia
Papa Bento 16 se opõe à proibição generalizada da burca
O empresário pagou as multas com verba do Fundo em Defesa do Laicismo e da Liberdade, dotado de 1 milhão de euros, o qual dirige.
As duas menores fizeram contato há algum tempo com Nekkaz para informá-lo sobre sua situação.
Após ajudar as duas em Bruxelas, o empresário irá para Roubaix, leste da França, para pagar a multa de 75 euros a uma mulher flagrada trajando o véu.
Leia mais:
O continente que brincava com fogo
A islamofobia se espalha pela Europa
Proibição à burca na França: oprimir para libertar?
O empresário pretende denunciar os Estados belga e francês ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos por violar as liberdades fundamentais dessas mulheres.
A lei belga prevê multas de até 137,50 euros e penas de um a sete dias de prisão. Ela não se restringe ao véu islâmico, mas a qualquer vestimenta que esconda total ou parcialmente o rosto pela justificativa de segurança e ordem pública.

Extraído do sítio Opera Mundi – ultima atualização em 17/08/2011

Anúncios