Dirigente republicana compara Obama a macacos

Posted on 20/04/2011

0


Uma dirigente republicana do condado de Orange, no sul da Califórnia, Marilyn Davenport enviou um e-mail a seus colegas de partido com uma montagem na qual o presidente norte-americano, Barack Obama, aparece como um pequeno macaco, filho de uma família de chimpanzés.
Na parte inferior da foto, há ainda a seguinte afirmação: "Agora você sabe por que não há certidão de nascimento". A frase é uma referência a uma polêmica criada em torno do local de nascimento de Obama. Recentemente, ele tem sido pressionado a tornar pública sua certidão de nascimento, já que o Tea Party tem alimentado o boato de que o presidente não nasceu no Havaí, mas sim em um país estrangeiro. Se a versão do movimento conservador fosse comprovada, ele seria obrigado a deixar o cargo. A Constituição dos Estados Unidos não permite que estrangeiros se candidatem à presidência.
Reprodução/OKWeekly

A montagem que gerou polêmica
Leia mais:
Mãe aos 17, filha de Sarah Palin faz política sapateando na TV e pregando abstinência sexual
EUA: A direita pede passagem
Tiros em Tucson e a fascistização dos EUA
Após atentado no Arizona, aumentam ameças de morte a Sarah Palin
Filha de Sarah Palin já ganhou 260 mil dólares em defesa da abstinência sexual
Impopularidade de Sarah Palin chega a nível recorde de 56%, segundo pesquisa
Marilyn, militante do movimento conservador Tea Party, pediu desculpas e afirmou que se tratava de uma piada de internet. “Todos os que me conhecem sabem que não sou racista. Foi uma brincadeira. Tenho amigos negros. Ainda assim o e-mail foi enviado a poucas pessoas, nunca pensei que incomodasse”, afirmou Marilyn Davenport à revista OKWeekly, que revelou o e-mail.
Ela disse também que recebeu o e-mail e logo passou adiante, sem pensar que poderia ser ofensivo. “Humildemente peço desculpas e peço que me perdoem por minha conduta insensata”.
De acordo com Marilyn, a foto lhe pareceu engraçada não pelo fato de o presidente aparecer representado como um macaco, mas por questionar seu local de nascimento.
Ela afirmou ainda que, na política dos EUA, há “dois pesos e duas medidas” porque há muitos “e-mails brincalhões” que fazem referência ao ex-presidente George W. Bush [2001-2009] e "ninguém dos meios de comunicação se queixa”.
Pedido de renúncia
Ativista de direitos civis norte-americanos e a representação do Partido Republicano no condado de Orange exigiram a renúncia de Marilyn. Eles alegam que a mensagem foi racista e que tal comportamento não pode ser tolerado.
Alice Huffman, presidente da Associação Nacional para o Progresso das Pessoas de Cor na Califórnia (NAACP) condenou a foto reproduzida pela imprensa local e exigiu a demissão de Marilyn Davenport, membro do Comitê do Partido Republicano de Orange.
Tim Whitacre, um membro do comitê central do Partido Republicano na Califórnia, disse, por sua vez, que "se tratava de um e-mail privado, enviado de sua casa a alguns amigos.
"Não estou defendendo o e-mail nem seu conteúdo. O que defendo é Marilyn, eu a conheço”, afirmou.
Ela, no entanto, afirma que não se afastará da política. "Não renunciarei a meu posto por esse assunto. É uma tempestade em copo d’água”, respondeu. 
Leia as especiais do Opera Mundi:
Reforma na saúde coloca Reino Unido à beira de uma crise política
Cuba está em uma nova fase da revolução, afirma Mariela Castro
Com ônibus itinerante, comunistas nos EUA buscam apoio da juventude
"Gosto deste Brasil que estou vendo", diz Benício Del Toro

Extraído do Opera Mundi – última atualização em 19/04/2011

Anúncios