A Vitória do Povo: Após 30 anos Mubarak deixa o poder

Posted on 11/02/2011

0


Após 30 anos no poder, Hosni Mubarak renuncia ao governo do Egito

Do Opera Mundi:

Atualizado às 15h15
Hosni Mubarak deixou a presidência do Egito. O anúncio foi dado pelo vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, nesta sexta-feira (11/02), em um breve pronunciamento à TV estatal.
Suleiman afirmou que o ditador, que estava no poder desde 1981, renunciou "voluntariamente" e passou o poder ao Conselho Supremo das Forças Armadas, após 18 dias de manifestações em todo o país. Segundo o vice, a decisão foi tomada "por causa das difíceis circunstâncias que o país atravessa ".
O Conselho Supremo é o mesmo órgão que, no início do dia e na quinta-feira (10/02), havia firmado em pronunciamentos que "estava do lado da população" e que "as demandas dos manifestantes" não estavam sendo atendidas.
Milhares de pessoas celebram a queda do ex-presidente na praça Tahrir, no Cairo, epicentro das manifestações em todo o Egito. A saída de Mubarak era a principal reivindiação da população desde o início da série de protestos.
A queda de Mubarak foi muito esperada na véspera, quando fortes rumores se espalharam de ele mesmo anunciaria sua saída em rede nacional. Entretanto, após horas de espera, Mubarak falou por volta das 23h locais (19 h de Brasília) que continuaria no cargo até setembro, quando eram esperadas novas eleições, e que delegaria parte de seus podere – sem especificá-los – ao vice-presidente Omar Suleiman.

Mubarak é o segundo ditador do mundo árabe a cair este ano. No dia 14 de janeiro, uma série de manifestações na Tunísia colocou fim ao regime de Zine Abidine Ben Ali, obrigado a deixar o país.
Pela manhã, o porta-voz do Partido Nacional Democrático (PND), grupo político que ainda permanece oficialmente no comando do país, revelou que Mubarak e sua família se encontravam no balneário de Sharm El Sheik, no Mar Vermelho.
Repercussão
O Movimento 6 de Abril, que desempenhou importante papel nos protestos que provocaram a renúncia e de Mubarak, afirmou em comunicado "a era da escravidão e do autoritarismo" acabou no Egito. "Acabou a era da escravidão e do autoritarismo, começa um novo amanhecer na história do Egito, um novo renascer, o Egito do século XXI", diz o comunicado no site da organização no Facebook.
O grupo, formado em sua maioria por jovens blogueiros e jornalistas, é uma dissidência do Kefaya ("Basta", em árabe). Seu nome faz referência à data de um protesto sindical na cidade ocorrido na cidade de Mahalla el-Kubra – conhecida por sua indústria têxtil – que acabou duramente reprimido pela polícia egípcia em 2008.
Histórico
Mubarak, de 82 anos, começou a ter destaque em sua trajetória política ao assumir a vice-presidência do país em 1975. Tornou-se presidente em 1981, após o assassinato do então mandatário Anwar Sadat. Após ser reeleito algumas vezes por referendo popular, disputou e venceu sua primeira eleição em 2005. As vitórias de Mubarak e de seu partido, o PND, em disputas legislativas, sempre sofreram denúncas de fraude e abuso de poder.
* Com agências internacionais

Anúncios