Carta da Secretaria de Educação

Posted on 04/09/2009

0


Seria cômico se não fosse trágico: os aposentados e pensionistas da educação estão recebendo uma carta da Secretaria de Educação falando sobre os “benefícios(???)” da incorporação do Nova Escola no molde proposto pelo governo.

A carta, um desperdício de dinheiro público, começa com a secretária me chamado de colega. E por um acaso ela pode ser considerada meu colega. Não a conheço pessoalmente, ela não é professora, nem do estado, nem do município ou universitária, nunca trabalhei no PRODERJ, nem sou técnico em informática. De onde, então, ela acha que pode me chamar de colega? Dá um tempo.

A carta continua descrevendo o projeto de incorporação do governo exaltando os supostos benefícios. Só posso imaginar que a secretária me considera um débil mental, afinal eu fui professor da rede estadual e, portanto, não devo ter cérebro mesmo.

Segue, escrevendo que “a Secretaria de Educação não tem medido esforços para melhorar as condições de trabalho dos professores…”. Segundo ela tem ocorrido significativos investimentos em gestão, qualificação, tecnologia, reforma e construção de escola (mesmo sabendo que o números de crianças nascidas por casal vem diminuindo no Rio de Janeiro e que já existem vagas ociosas na rede estadual). Me lembrei do Arnaldo Niskier que pediu em um artigo que lhe mostrassem dados de algum país em que a educação tivesse melhorado sua qualidade pelo simples fato de colocarem ar-condicionado e computadores nas salas de aula.

Em suma, mais uma vez essa secretária vem tentar enganar o professor, esperando talvez que nós pelo fato de estarmos aposentados não iremos nos unir ao pessoal da ativa. Ledo engano. Uma vez professor para sempre professor.

Anúncios
Posted in: Educação